Monday, January 26, 2009

Todas as maças

Estou com uma gripe horrível. Passei praticamente o dia todo na cama sem energia para nada. Tentei dar uma caminhada à tarde até a loja de materiais de construção para comprar uma lâmpada para a minha cozinha e me senti como se estivesse caminhando nas nuvens ou como se estivesse assistindo a mim mesma caminhar.


Eu me sinto com frequência... (Um, essa sentença não me soa bem. Talvez soasse melhor - eu frequentemente me sinto – não, acho que só estou me indagando porque a sentença me veio à cabeça primeiro em inglês que no caso seria I often feel? Esse é um exemplo tipíco das línguas cruzadas na minha cabeça, como elas se intersectam, como uma interfere na outra e como às vezes eu acabo me traduzindo sem nem mesmo perceber.)


Mas enfim, muitas vezes quando estou caminhando sozinha, eu me sinto como se eu estivesse do lado de fora assistindo às pessoas e as coisas acontecendo ao meu redor. Quando não estou me sentindo bem então, essa sensação se torna ainda mais aguçada. É como se eu tivesse o poder de me fazer invisível e de me separar da realidade ao meu redor. Não, não estou perdendo o que me resta do meu juízo. Pelo contrário, quando estou me sentindo assim, na verdade estou totalmente presente e prestando a atenção aos mínimos detalhes. Eu sempre carrego a minha camêra digital onde vou e acabo fotografando coisas super inusitadas durante essas caminhadas.


Mas hoje eu quase não fotografei nada porque comecei a lembrar de muita coisa. Eu me lembrei de como eu era doente quando era criança. Eu tive de tudo: cachumba, hepatite, ameba, lombriga, sarampo, pneumonia, piolho, catapora, bronquite alérgica, asma. Eu tinha pavor, na verdade ainda tenho, de injeção, de ambulância e de hospital. Eu me lembro de der de pegar dois ônibus doente e vomitando e depois ainda esperar em fila de INPS, fila de Santa Casa; de precisar sair no meio da noite para tomar injeção de adrenalina e fazer inalação porque a asma não me deixava dormir. Durante um período na minha vida eu tinha de ir ao hospital de duas em duas semanas.


Naqueles dias, o meu único consolo era uma maça ou uma pera embrulhadas em papel de seda roxo. O vidinha, sô...


Por isso mesmo com essa gripe danada, eu ainda aprecio a saúde que tenho e todas as maças ao meu redor.


PS: Eu estava ouvindo essa música da banda inglesa Cinematic Orchestra enquanto estava escrevendo esse post. Chama-se Child Song.




2 Comments:

Blogger Sofia said...

Aí está como duas línguas se misturam na cabeça de uma pessoa ao ponto de se tornarem quase uma nova língua... Sentença não é a tradução para sentence. Sentence em português é frase ou oração. :) Como dizemos por aqui, a língua portuguesa é muito traiçoeira! Ehehehehe!

11:05 AM  
Anonymous Rosana said...

Oi Rê, puxa de novo com gripe?! Deve ser baixa imunidade. Quem sabe um suco de acerola e alimentos com vitamina C ajudem?!!
Que bom vê-la escrevendo novamente, mesmo doentinha! Fazia tempo né que vc não escrevia?!!!
Se cuida e saudades

6:56 PM  

Post a Comment

<< Home